terça-feira, 17 de abril de 2012

desabafando mais uma vez

Não, eu não vou te odiar. Mas infelizmente, você conseguiu fazer com que eu não quisesse mais confiar nas pessoas. É, eu não confio mais em você, não acredito mais em nenhuma palavra sua, não acredito mais nas suas lágrimas, não acredito que você goste de mim, não acredito mais em nada. Nem vindo de você, nem vindo de mais ninguém.

As feridas ainda eram bem recentes quando você apareceu na minha vida, lavando todas as dores que eu ainda sentia, me fez feliz como ninguém nunca tinha feito. Jurou coisas que nunca, NUNCA ia poder cumprir. Vi o teu sofrimento, e percebi que precisava te ajudar de alguma forma. Fiz de tudo, permaneci ao teu lado quando menos mereceu, até quando você não me quis mais por perto, eu permaneci. Fiz tudo por você, fiz tudo por nós dois, esqueci até de mim.

E me dói tanto lembrar de tudo que falávamos, que você prometeu, e ouvir de você agora, que espera que eu encontre alguém que me faça feliz de verdade. Isso que dá confiar nas pessoas, acreditar, sabendo do erro e mesmo assim abusar da burrice e confiar. Realmente, não acredito mais em nada e sinto muito por isso.

Espero que as coisas possam se ajeitar, e essa mágoa que eu to sentindo desapareça com o tempo. Espero que a gente fique bem, juntos ou não, que a gente fique bem. Até porque, acho que quem vai mais precisar ficar bem sou eu, que foi quem mais errou nessa história, por ter confiado em você e nas suas mentiras.



As coisas nunca foram fáceis, nada acontece sem luta, sem suor, sem choro, sem sofrimento. N A D A. Eu já não vejo mais sentido nas coisas, o que me dói muito, porque sou tão nova e tão cheia de mágoas, feridas, rancor.

Sabe o que é nadar, nadar, nadar e nunca chegar onde você quer? Sabe o que é você lutar por alguém, e fazer tudo por alguém que não muda? Sabe o que é esperar que as pessoas não te deixem e mesmo assim….ah, to sem direção, sem chão, sem esperanças.

Eu apostei todas as minhas fichas nisso, fiz de tudo, tudo mesmo, pra que desse certo, fiz tudo por você, e do que adiantou?

Me diz, do que adiantou ficar noites e madrugadas no telefone ouvindo você fraquejar e chorar. Ficar horas na madrugada te fazendo companhia, porque eu sabia que você tava mal e não queria que ficasse assim. Do que adiantou, eu me preocupar tanto, eu tentar tanto, eu pedir tanto? Me explica, porque eu não vejo sentido algum nisso.

Eu fui idiota a ponto de acreditar, sabendo que não tinha mais jeito. Errei quando insisti, quando apostei, quando paguei pra ver. Errei, mas não me arrependo.

Só nós dois sabemos o que já passamos, o que cada um de nós dois passamos. Só nós dois sabemos o quanto a gente se entende, o quanto a gente fica feliz um com o outro, o quanto a gente sorri, o jeito que a gente brinca, e se morde, e se beija. Os nossos abraços confortáveis e intermináveis, as piadas idiotas, os xingamentos, a gente brincando de lutinha na varanda heuaiehaueiahuea é, vai ser difícil esquecer a felicidade que você sempre me trouxe.

6 meses se passaram, e lembro de cada momento bom e ruim que passamos. 6 meses. Não vou negar que estou sem chão, e sem direção. Mas, como eu disse, tudo passa e o amanhã ninguém sabe, agora é tirar força não sei da onde, talvez dos céus, mas vou continuar caminhando. Sem rumo, sem chão, sem direção, completamente perdida e desacreditada das pessoas e dos sentimentos, mas vou, porque eu nunca vou parar de lutar por aquilo que eu quero, eu nunca vou desistir, nunca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário